Biomas, Domínios e Ecossistemas

Bioma, domínio e ecossistema  são termos ligados e utilizados ao mesmo tempo nas áreas da biologia, geografia e ecologia, mas, não significando em absoluto que sejam palavras referentes a um mesmo conceito. São todos empregados quando se pretende dividir um território de acordo com suas paisagens naturais.

Biomas– são grandes áreas ou ecorregiões, de até mais de um milhão de quilômetros quadrados (uma dimensão que equivale a pouco menos que o estado do Pará ou a África do Sul), com condições ambientais específicas, onde ocorre interação entre os fatores no conjunto natural (relevo, clima, vegetação, fauna, hidrografia e solo). Apesar da diversidade de vegetação, a paisagem apresenta-se com certa uniformidade, havendo porém, dificuldade de definição de seus limites naturais. Como exemplo de biomas, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), temos:

  • Mata Atlântica
  • Cerrado
  • Amazônia
  • Caatinga
  • Pantanal
  • Pampa

Domínio– conjunto natural em que há interação entre os elementos e o relevo, clima ou vegetação, que são determinantes. Possui o Domínio certa ordem de grandeza, geralmente apresentando-se como uma área menor que o bioma. Neste conjunto há certa coerência nos aspectos de relevo, tipos de solo, vegetação, clima e hidrografia. Modernamente, substitui o termo zona (como por exemplo, zonas tropicais, zonas temperadas, subtropical, etc.). Definimos os domínios morfoclimáticos brasileiros a partir de características climáticas, botânicas, pedológicas, hidrológicas e fitogeográficas, havendo seis importantes destes espaços em território brasileiro:

  • Domínio Amazônico
  • Domínio dos Cerrados
  • Domínio dos Mares de Morros
  • Domínio das Caatingas
  • Domínio das Araucárias
  • Domínio das Pradarias

Ecossistema – comunidade de organismos que interagem entre si e com o meio ambiente ao qual pertencem. Exemplos de meio ambiente são lagos, floresta, savana, tundra etc. É complexo que compõe o ecossistema onde ocorre a interação entre seres vivos e os elementos não-vivos (bióticos e abióticos), havendo a transferência de energia e matéria entre eles. Um domínio pode conter mais de um bioma e de um ecossistema.
Os principais ecossistemas brasileiros são:

  • Floresta Amazônica – Compreendendo cerca de 42% do território nacional, a Floresta Amazônica é considerada a maior floresta tropical do mundo e está presente nos estados do Acre, Amapá, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins, além de outros países sul-americanos. Esse é o bioma que possui a maior biodiversidade do planeta. Entre as espécies animais estão: jabuti, paca, anta, jacaré, sucuri, macacos, entre outros.
  • Mata Atlântica – Estendendo-se do Piauí ao Rio Grande do Sul, a Mata Atlântica é um dos biomas mais ricos do mundo em espécies da flora e da fauna. Sua vegetação é bem diversificada e representada pela peroba, ipê, quaresmeira, cedro, jequitibá-rosa, jacarandá, pau-brasil, entre outras. Há grande diversidade de epífitas, como bromélias e orquídeas. A Mata Atlântica já foi a segunda maior floresta tropical em ocorrência e importância na América do Sul, em especial no Brasil, chegando até a Argentina e o Paraguai. A mata cobria também importantes trechos de serras e escarpas do Planalto Brasileiro, e era contínua com a Floresta Amazônica. Em função do desmatamento, principalmente a partir do século XX, encontra-se hoje extremamente reduzida, sendo uma das florestas tropicais mais ameaçadas do globo. A fauna possui várias espécies distintas: tatu-canastra, onça-pintada, lontra, mico-leão, macaco muriqui, anta, veado, quati, cutia, bicho-preguiça, jacu, macuco, etc.
  • Cerrado – Vegetação que compõe a fitogeografia brasileira, já ocupou 25% do território brasileiro, fato que lhe dá a condição de segunda maior cobertura vegetal do país, superada somente pela floresta Amazônica. No entanto, com o passar dos anos o Cerrado diminuiu significantemente. Encontrando-se em uma região onde o clima que predomina é o tropical, apresenta duas estações bem definidas: uma chuvosa, entre outubro e abril; e outra seca, entre maio e setembro. O Cerrado abrange os Estados da região Centro-Oeste (Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Distrito Federal), além do sul do Pará e Maranhão, interior do Tocantins, oeste da Bahia e Minas Gerais e norte de São Paulo. A vegetação predominante é constituída por espécies do tipo tropófilas (vegetais que se adaptam às duas estações distintas, como ocorre no Centro-Oeste), além disso, são caducifólias (que caem as folhas no período de estiagem) com raízes profundas. A vegetação é, em geral, de pequeno porte com galhos retorcidos e folhas grossas. Apesar dessa definição generalizada, o cerrado é constituído por várias características de vegetação, é classificado em subsistemas: de campo, de cerrado, de cerradão, de matas, de matas ciliares e de veredas e ambientes alagadiços.
  • Caatinga – Único bioma exclusivamente brasileiro, grande parte do seu patrimônio biológico não pode ser encontrado em nenhum outro lugar do planeta. Com cerca de 800.000 km², cerca de 10% do território nacional, a caatinga engloba inteiramente os estados do Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe, Bahia (região Nordeste do Brasil) e parte do norte de Minas Gerais (região Sudeste do Brasil). A vegetação é adaptada às condições de aridez (xerófila), e os animais da região são o sapo-cururu, asa-branca, cutia, gambá, preá, veado-catingueiro e tatu-peba. Muito fragilizada, cerca de 70% da caatinga já se encontra alterada pelo homem e somente 0,28% de sua área encontra-se protegida em unidades de conservação.
Chapada do Araripe

Chapada do Araripe

  • Campos -Os campos são formados por herbáceas, gramíneas e pequenos arbustos esparsos com características diversas, conforme a região, ocupando áreas descontínuas do Brasil. Enquanto na Região Norte esse bioma está presente sob a forma de savanas de gramíneas baixas, na Região Sul, aparece como as pradarias mistas subtropicais. Os campos do Sul são formados principalmente pelos pampas gaúchos, com clima subtropical, região plana de vegetação aberta e de pequeno porte que se estende do Rio Grande do Sul à Argentina e ao Uruguai. A vegetação campestre forma um tapete herbáceo com menos de 1 metro, com pouca variedade de espécies. Sete tipos de cactos e bromélias são endêmicos da região, além de uma espécie de peixe – o cará. A pecuária extensiva desgasta o solo, o plantio de soja e trigo diminuem a fertilidade do mesmo, além dos desmatamentos que causam erosão e desertificação na região.
  • Pantanal – Localizado no sudoeste de Mato Grosso e oeste de Mato Grosso do Sul, estando presente também no Paraguai e na Bolívia, o Pantanal é considerado uma das maiores planícies inundáveis do planeta. Apresenta grande biodiversidade: mais de 3.500 espécies de plantas, cerca 650 espécies de aves, 262 espécies de peixe, 1.100 espécies de borboletas. Entre os representantes da fauna estão: jacaré, veado, serpentes, capivara, papagaio, tucano, tuiuiú, onça, macaco, entre outros.
  • Restingas – “Entende-se por vegetação de restinga o conjunto das comunidades vegetais, fisionomicamente distintas, sob influência marinha e fluvio-marinha. Essas comunidades, distribuídas em mosaico, ocorrem em áreas de grande diversidade ecológica e são consideradas comunidades edáficas por dependerem mais da natureza do solo que do clima” (Resolução CONAMA, 1996). O termo restinga é utilizado em um sentido amplo que engloba o conjunto de comunidades vegetais encontradas nas planícies arenosas quaternárias de origem marinha. Portanto, podemos encontrar a vegetação de restinga ao longo das praias e das planícies costeiras. Sua fisionomia variada está diretamente relacionada ao solo arenoso em que ela se encontra.
  • restniga

    Barra do Jucu, Vila Velha, ES

  • Manguezais – Ecossistema costeiro, de transição entre os ambientes terrestre e marinho, característico de regiões tropicais e subtropicais, sujeito ao regime das marés. Ocorre em regiões costeiras abrigadas e apresenta condições propícias para alimentação, proteção e reprodução de muitas espécies animais, sendo considerado importante transformador de nutrientes em matéria orgânica e gerador de bens de serviços.” No Brasil, os manguezais distribuem-se desde o extremo norte no Estado do Amapá até o município de Laguna em Santa Catarina, ocupando uma área aproximada de 25 mil km² e compostos por 6 espécies arbóreas típicas, pertencentes a 3 gêneros: Rhizophora mangleRhizophora harrisoniiRhizophora racemosaAvicennia schauerianaAvicennia germinans e Laguncularia racemosa.
Canto do Mangue, CE

Canto do Mangue, CE

Adaptado do Portal da Infoescola; Nova Escola e Guia do Estudante

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s