Galileu Galilei

Com descobertas astronômicas espetaculares e um método baseado na experimentação, ele concebeu aquilo que hoje convencionamos chamar de ciência.

Lendas Galileanas

1. Dizem que após repudiar o movimento ao redor do Sol perante a Inquisição, Galileu teria dito “Eppur si muove” (“Contudo, ela se move”).

2. Para demonstrar que objetos com diferentes pesos caem na mesma velocidade, Galileu teria atirado bolas da Torre de Pisa. É sabido que isso nunca aconteceu.

Ele acreditava que a realidade só poderia ser revelada com observação e a linguagem em que poderia ser traduzida era a matemática

Se fosse preciso eleger o “pai” da ciência moderna, teria de ser Galileu Galilei (1546-1642). Suas contribuições vão desde a criação do método científico até o desenvolvimento de instrumentação, passando por descobertas fantásticas e pela popularização do conhecimento.

Para começo de conversa, o gênio italiano foi o primeiro a identificar crateras e montanhas na Lua, descobriu as quatro maiores luas de Júpiter e constatou que a Via Láctea – faica nebulosa que cruza o céu noturno, hoje identificada com o disco espiral da nossa galáxia – é composta de inúmeras estrelas, invisíveis a olho nu. De quebra, verificou que Vênus possuía fases, como as lunares.

Tudo isso só entre 1609 e 1610, logo após ter desenvolvido seu próprio telescópio astronômico. Mas, diferentemente do que se costuma dizer, Galileu não inventou a luneta. Apenas recriou o dispositivo – de forma aperfeiçoada – após ouvir dizer sobre uma invenção holandesa para enxergar mais longe.

“Estrela pop”

Se as descobertas de Galileu foram fantásticas, sua forma de comunicá-las era tão impressionante quanto. Contrariando a sabedoria da época, em que a língua oficial da academia era o latim, o cientista fez questão de escrever suas obras em italiano.

Não era falta de traquejo – filho de um músico e matemático, Galileu estudou medicina na Universidade de Pisa (sua cidade natal) e tinha amplo domínio do latim. Tratava-se de opção como forma de popularizar suas descobertas. Com isso, ele passou a incomodar ainda mais os círculos acadêmicos, que já se ressentiam da forma ácida com que ele apresentava suas opiniões. Conhecido como “polemista”, o italiano se familiarizou com as controversas ideias de Nicolau Copérnico sobre a Terra ser apenas mais um planeta, girando ao redor do Sol, e passou a ser seu mais entusiástico defensor.

Galileu encontrou várias evidências do copernicanismo, como as fases de Vênus (indicando que ao menos esse planeta girava ao redor do Sol) e as luas de Júpiter (objetos que não orbitavam a Terra, e sim aquele planeta). Então, decidiu escrever um livro inteiro sobre isso.

Foi essa famosa obra, Diálogo Sobre os Dois Máximos Sistemas de Mundo, publicada em 1632, que causou a ira da Igreja. O Vaticano havia proibido a defesa do heliocentrismo em 1616, e aforma que Galileu encontrou para burlar a censura foi escrever o livro na forma de um diálogo entre sábios, cada qual defendendo um modelo. Só que o advogado do sistema geocêntrico, um personagem chamado Simplício, era bem mais tosco que sua contraparte copernicana. Houve até quem pensasse que se tratava de uma caricatura do papa Urbano VIII.

Furioso, o sumo pontífice convocou Galileu perante a Inquisição e fê-lo abjurar as heresias e abandonar o heliocentrismo , em 1633. Todas as obras dele foram banidas, e o italiano ainda foi condenado à prisão domiciliar pelo resto da vida.

Embora doente, idoso e enclausurado, Galileu continuou produzindo. Seu último livro, Discursos e Demonstrações Matemáticas Sobre Duas Novas Ciências, foi publicado na Holanda em 1638, onde a Inquisição não tinha como censurar. No que é considerada a sua obra científica mais rica, o italiano resume mais de três décadas de trabalho com experimentação nos campos da ciência de materiais e do movimento. Aqui, Galileu quase antecipa o trabalho de Isaac Newton com a gravidade, determinando como se dá a queda de projéteis.

E, com sua metodologia de trabalho – envolvendo experimentação sistemática-, ele mudou a história do mundo. Ao estabelecer a necessidade de testar hipóteses e confirmá-las por experimentos, o sábio italiano mudou a forma como se produz conhecimento e permitiu que a ciência evoluísse até ser a força poderosa que é hoje.

Fonte: Revista Super Interessante – Por dentro da mente de 29 Gênios. Coleções. Edição 304-A. Maio, 2012.

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s