Homem – necessidades e desafios

Certamente o ser humano, mamífero típico, com glândulas mamárias, pelos, sistema circulatório fechado com coração de quatro cavidades, presença de diafragma, entre outras características comuns a todos dessa classe, possui um diferencial em relação aos outros: a inteligência desenvolvida que o leva a uma capacidade imensa de transformar o meio em que vive.

Essa capacidade de transformação é tanta, que se torna uma ameaça à permanência desta espécie no planeta. Modificação do solo, da fauna e da flora de uma região fazem parte das ações cotidianas que, se executadas de forma irresponsável, podem ter consequências irreversíveis.

Alimentação

Seres humanos adultos necessitam de cerca de 2500 kcal diárias para manter o bom funcionamento corporal. Mas não apenas disso; dependem também da ação de diversas vitaminas e minerais que funcionam para auxiliar nos bastidores da fisiologia, complementando processos de síntese (complexo B), regulando a regeneração de tecidos (vit. E), promovendo a contração muscular e a coagulação (cálcio), participando ativamente na transmissão de impulsos nervosos (potássio), entre outros. Não supridas essas necessidades, a fisiologia corporal muda de tal forma que as funções dos sistemas básicos (nervoso, respiratório, circulatório) não são mantidas. A inserção do Homo sapiens em uma convivência nos moldes de uma sociedade atualmente degradada não contemplam a garantia das necessidades básicas, tais como: acesso a tratamentos eficazes para erradicação de doenças, educação preventiva, e alimentação básica. Tal quadro, provocado pela desigualdade social, que privilegia uns indivíduos em detrimento de outros, não é encontrado entre os outros animais que vivem em sociedade, como os cupins, formigas e abelhas. Lá, cada indivíduo age em benefício do bem-estar comum e isso leva aquelas espécies ao sucesso na conquista de novos ambientes e de permanência neles.

Fisiologia x alimentação inadequada

Nossos sistemas atuam de forma integrada. Para chegar nessa sintonia, organismos inicialmente unicelulares se uniram em um conjunto de células que, por bilhões de anos, foram sendo modificadas para se colocar dentro de um contexto único. Vendo dessa forma, percebemos que os sistemas de nosso corpo funcionam em sintonia, interligados. Lembrando também que isso vale para qualquer ser vivo pluricelular. Em que acarretaria em nós um coração cujo sangue venoso e arterial se mistura, como o observado nos anfíbios e na maioria dos répteis? De imediato, devemos saber que nem perceberíamos a diferença, pois já estaríamos adaptados. O fato é que, se formos comparar os dois tipos de coração, o de quatro cavidades fornece um desempenho maior na oxigenação dos tecidos, promovendo uma eficiência energética superior, tornando-nos menos dependentes do ambiente onde se encontram. A seguir, alguns sintomas de alguém que passou por privação alimentar extrema nos revela como nossos sistemas estão integrados e dependentes da alimentação:

Análise de subnutrido

· Edema

· Aumento ou dor hepática ao toque, icterícia;

· Distensão abdominal;

· Palidez grave;

· Sinais de colapso circulatório: mãos e pés frios, pulso radial fraco, consciência diminuída;

· Temperatura: hipotermia ou febre;

· Sede;

· Olhos: lesões corneais indicativas de deficiência de vitamina A;

· Ouvidos, boca, garganta: evidência de infecção;

· Pele: evidência de infecção ou púrpura;

· Frequência respiratória e tipos de respiração: sinais de pneumonia ou insuficiência cardíaca.

Tarefa: tente encontrar explicação para os sintomas, revisando a fisiologia dos sistemas envolvidos nessa lista.

Doenças

Vírus: por não possuir metabolismo próprio (impossível matar um vírus) devemos aguardar que nosso sistema imunológico dê um jeito neles. Os medicamentos atuais funcionam evitando a entrada do vírus na célula hospedeira ou interferindo na sua replicação.

(ex.: gripe, resfriado, varíola, febre amarela, caxumba, hiv, hepatite, hpv, raiva, poliomielite, herpes, dengue, condiloma acuminado, ebola, meningite, etc.)

Bactérias: interferir na reprodução, seja evitando a síntese de parede celular, seja travando o metabolismo das bactérias é a melhor forma de combatê-las. Para isso existem os antibióticos. Os de amplo espectro conseguem atacar bactérias gram-positivas e gram-negativas, sendo mais indicados em infecções não muito bem determinadas.

(ex.: pneumonia, tuberculose, sífilis, leptospirose, difteria, cólera, erisipela, febre tifóide, botulismo, bronquite, coqueluche, salmonelose, peste, furúnculo, acne, blenorragia, cancro mole, cistite, etc.)

Protozoários: esses organismos unicelulares causam doenças ao parasitar alguns tecidos do nosso corpo. Dele retiram os nutrientes causando destruição localizada, às vezes produzindo substâncias para facilitar sua invasão.

(ex.: doença de Chagas, leischmaniose, malária, amebíase, giardíase, toxoplasmose, balantidiose, doença do sono, etc.)

Grande parte das doenças citadas se deu em primeira infecção pela invasão de florestas e contato com os agentes etiológicos que lá viviam.

Futuro

O que explica a expectativa de vida em países desenvolvidos pular de 47 anos em 1900 para atuais 77 anos?

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s