Tags

, , ,

O dia do Engenheiro Florestal é comemorado todo o dia 12 de Julho, relacionado ao dia do Santo Protetor desse profissional, engenharia florestal 2São João Gualberto, considerado um dos precursores no ensino da Ciência Florestal no mundo.

Conservar e saber usar” era o lema de São João Gualberto, monge italiano que se dedicou ao cultivo de bosques florestais, no Século X. Por causa de sua história de amor às florestas e do senso de preservação, o santo foi proclamado protetor dos Engenheiros Florestais e a data de seu falecimento, 12 de julho de 1073, eleita o Dia do Engenheiro Florestal.

Com a evolução da Engenharia Florestal pelo mundo, houve a necessidade de reconhecer a importância desta profissão. Com o intuito de homenagear todos os profissionais que se dedicam ao desenvolvimento e reconhecimento da Engenharia Florestal no mundo é que, o Papa Pio XIII proclamou São João Gualberto como Protetor dos Engenheiros Florestais.

Confira mais informações sobre o Curso de Eng. Florestal

João Gualberto

são joão gualbertoEle presenciou uma grande tragédia familiar. Seu único irmão fora assassinado. E naquela época as famílias poderosas e ricas deveriam vingar-se dos assassinos de seus entes. Todos os dias João saia à procura do assassino, e foi numa sexta-feira santa, que encontrou o inimigo. O qual arrependido do seu ato implorava por seu perdão. E tomado de compaixão João Gualberto o perdoa. E para agradecer a Deus por ter perdoado aquele assassino, João entra na Basílica da São Miniato e quando de joelhos ele nota que o crucifixo o qual agradecia, destaca-se da parede da basílica inclinando para-si e naquele instante, ele ouve em seu intimo um chamado “Vem e segue-me”, assim ele segue a vida religiosa como monge na Abadia de São Miniato.

E foi em 1035 que João Gualberto e um confrade saíram da ordem, devido à morte do abade e da compra da nomeação de um novo substituto. Saíram em marcha percorrendo diversas regiões, já exaustos de tanto caminharem encontrava-se numa região montanhosa, com a mudança do tempo, indicando vinda de uma tempestade pela frente resolveram abrigar-se debaixo de uma árvore, a qual os abrigou e protegeu durante toda noite de tempestade. E ao amanhecer o dia eles encontravam-se secos e aquecidos, foi assim que ele percebeu que o Senhor os queria naquele local. Foi ai que se instalaram e fundaram uma nova ordem nos vales de Vallombrosa na Itália. Com disciplina e austeridade São João Gualberto, fundou no vale de Vallombrosa um centro de estudos e aprendizagem, onde pessoas de todos os lugares traziam seus filhos para estudarem lá. São João Gualberto não só se dedicou a vida religiosa, dedicando-se com os seus monges à agricultura e à silvicultura.

Historiadores mostram que foi São João Gualberto que iniciou o cultivo racional dos bosques de Vallombrosa e apontam os Valombrosanos como precursores da lei agrária; pois eles iniciaram a divisão da propriedade, criaram a burguesia rural, e deram poderoso impulso ao melhoramento das condições sociais do povo. E, ainda hoje, nos montes que rodeiam o Mosteiro de Vallombrosa, onde São João Gualberto começou os primeiros trabalhos de silvicultura, contemplam-se copadas árvores que fazem à admiração dos estrangeiros e tornam Vallombrosa um dos mais deliciosos lugares europeus de veraneio.
E foi este Santo que deixou aquela que pode se considerar como primeira ciência, mesmo que empírica, sobre o aproveitamento racional da floresta, sua proteção e preservação. Sendo seu lema o de “Conservar e saber usar”.

*Texto elaborado a partir de: DUARTE, B. São João Gualberto: Resumo do livro de Dom Emiliano Lucchesi O.S.B.V., 2001.

Campo de atuação

O engenheiro florestal tem um vasto e importante campo de atuação. Ele estuda e faz projetos para a preservação dos recursos renováveis e para a conservação de ecossistemas. Além de elaborar relatórios de impacto ambiental das atividades humanas em áreas de florestas, pode planejar e executar obras e serviços técnicos em engenharia rural em construções para fins florestais.

Ele também estuda e faz projetos de aproveitamento racional de florestas e de reflorestamento, fazendo inventário florestal para manejo e melhoramento de florestas naturais e plantadas, pesquisando até a produção de sementes e de mudas para melhorar as características das plantas. Na indústria de móveis, de papel e celulose, por exemplo, elabora os projetos de plantio e reflorestamento das espécies mais adequadas.

Também poderá atuar em atividades ligadas à ecologia e defesa sanitária, administração e desenvolvimento de estudos para preservar e conservar os parques e reservas naturais e, é claro, atividades de ensino e pesquisa ligadas à sua área de formação.

Fontes: UTFPR, UFT, SmartKids.