Tags

, , ,

sisu enemAtualizado em 03 de abril de 2014.

Proposta da UFRPE para que se permita apenas uma opção de curso por aluno será discutida em Brasília

Quando o Ministério da Educação (MEC) abre inscrições pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu), estudantes de todo o país começam uma verdadeira corrida para escolher um curso no ensino superior. Quem não tem pontuação suficiente para ingressar no curso desejado pode trocar de opção diariamente até as incrições serem encerradas. Muitas vezes, acabam se matriculando numa graduação que não se identificam e abandonando o curso meses depois. A alta evasão nas universidades que adotam o sistema unificado motivou a elaboração de uma proposta de mudança no Sisu. A reitora da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), Maria José de Sena, encabeça um grupo de reitores que propõe a reformulação do sistema. A proposta será discutida no próximo mês, em Brasília, durante um encontro de reitores e representantes do MEC.

De acordo com Maria José, o índice de universitários que abandonaram o curso na instituição passou de 15% para 30%. Com a saída dos alunos, as vagas ficam abertas, mas não podem ser preenchidas, pois o processo de seleção já se encerrou. “Sinalizamos o MEC sobre o que observamos desde que adotamos o Sisu. O sistema avançou em diversos aspectos, está mais ágil e com mais serviços. No entanto, a possibilidade de mudar de curso durante o período de inscrições e a oportunidade de escolher dois cursos faz com que muitos estudantes acabem entrando em um no qual não se identificam”, explica a reitora da UFRPE.

Uma comissão com reitores de todo o Brasil se reúne em abril para aprofundar o debate. “O objetivo é fazer com que o candidato se inscreva em um curso, mesmo que em duas ou mais instituições”, disse a reitora.  O Ministério da Educação informou que “no âmbito da Secretaria de Educação Superior, não recebeu, por escrito, qualquer proposta de alteração do Sisu”.

Opção
Quando estava concluindo o segundo período de engenharia agrícola e ambiental, o universitário Marcus Barbosa, 19 anos, decidiu não seguir no bacharelado. “Não gostava de matemática e física e o mercado não é bom”. Como só poderia mudar de graduação sem precisar fazer um novo vestibular se tivesse concluído 40% do curso, fez o Enem novamente e passou em agronomia da UFRPE, via Sisu. “A evasão é realmente muito alta. Muitos estudantes fazem a matrícula num curso que não querem para não ficar um ano parados”, observou.

sisi proposta UFPE adota o SISU

O Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) decidiu, durante reunião na manhã desta quinta-feira (3), aderir integralmente ao Sistema de Seleção Unificada (Sisu) do Ministério da Educação. Com isso, o tradicional vestibular da instituição, um dos mais concorridos do Estado e liderado pela Covest, deixa de existir já a partir deste ano. Para ingressar na UFPE, os feras terão apenas que fazer o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e depois se inscrever no Sisu. Não haverá mais, nesse caso, prova de disciplina específica.

A decisão foi tomada após a votação de 40 membros do conselho. Trinta e seis votaram a favor da adesão integral ao Sisu, enquanto dois foram contra e dois se abstiveram.

O único vestibular que deve ser mantido é o do meio do ano do Centro de Tecnologia e Geociências (CTG), que seleciona alunos para 12 cursos de engenharia.

No último vestibular, a UFPE ofereceu 6.607 vagas, distribuídas em 97 cursos no Recife, Vitória e Caruaru. Destas, somente 55 vagas de dois cursos, oceanografia e estatística, estão no sistema. Na última edição do sistema, em janeiro deste ano, foram oferecidas 171 mil vagas em 4.723 cursos de 115 instituições públicas de educação superior. Na região Nordeste, apenas a UFPE, entre as universidades federais, não aderiu ainda integralmente ao Sisu.

Fonte: JC Online; Diário Pernambuco

compartilhe no facebook