Tags

, , , , , , ,

Tem gente que reclama do trabalho de barriga cheia. Aqui, tem de analista de pum a masturbador de tartaruga.

Masturbadora de tartaruga

Em 1993, a especialista em biologia reprodutiva de répteis da Universidade de Lausanne, na Suíça  Sveva Grigioni, foi a responsável pela primeira ereção – em 80 anos – do único macho de uma espécie de tartaruga-de-galápagos. Para isso, Sveva teve de usar as próprias mãos.

Analista de Pum

No início deste ano (2012), a bioquímica Marisela Granito e seus colegas da Universidade de Simón Bolivar, na Venezuela, desenvolveram um feijão anti-flatulência – com propensão a puns a 80% menor que o tradicional. O problema é que até chegar ao resultado, os cientistas tiveram de acompanhar a digestão e flatulências dos voluntários da pesquisa!

Ê gastrite!

Em 1983, o gastroenterologista Barry Marshall, da Universidade da Austrália Ocidental, decidiu engolir um tubo de ensaio cheio de bactéria Helicobacter pylori para provar que ela era a causadora da gastrite. Marshall desenvolveu a gastrite. Desde então, a doença passou a ser combatida com uso de antibióticos quando detectada sua causa por esta bactéria.

Criador de ‘carniça’

A flor Amorphophallus titanum atrai turistas do mundo todo para uma estufa na Universidade de Washington, mas não porque alcança mais de 2 metros de altura e é adornada por uma incrível estrutura em forma de pênis, e sim porque suas flores têm cheiro de cadáver em decomposição! A planta desenvolveu o ‘suave perfume’ para atrais seus polinizadores, que são besouros comedores de carniça da Indonésia.

Faxineiro espacial

O norte-americano Norm Thagard, que ocupava a estação espacial Spacelab, e 1985, foi o primeiro astronauta a limpar gaiolas de animais (camundongos, principalmente) em órbita. OS engenheiros da Nasa tinham garantido que os compartimentos estavam sob pressão negativa e, portanto, nada escaparia sozinho de dentro dele. Entretanto, ao abrir as portinhas, muitos dejetos de rato sob microgravidade ‘voaram’ na direção dele.

Almoço de mosquito

Para capturar e estudar o Anopheles darlingi, um dos insetos transmissores da malária, Helge Zieler, o pesquisador do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas dos Estados Unidos, se oferecia como “isca viva”. Na sua melhor noite de “caça”, Zieler conseguiu pegar 500 mosquitos, levando cerca de 3 mil picadas no corpo! A coceira passou logo. Já o tratamento da malária que ele pegou durou dois anos.

Fonte: Adaptado de Almanaque das nojeiras – São Paulo: Abril, 2012.(Mundo Estranho)