Tags

, , , , , , , , ,

Olá, Feras!!

Dando continuidade a nossa sessão pipoca, apresentamos a vocês uma lista com 10 filmes nacionais que são adaptações de livros de grandes autores brasileiros. Para estudar, leia as obras e trace paralelos com o conteúdo dos filmes.

Memórias Póstumas de Brás Cubas (2001)

Dirigido por André Klotzel, é um das adaptações do livro homônimo de Machado de Assis. Após sua morte, no ano de 1869, Brás Cubas decide por narrar sua história e revisitar os fatos mais importantes de sua vida, a fim de se distrair na eternidade. Começa então a relembrar dos amigos, como Quincas Borba, da sua displicente formação acadêmica em Portugal, dos amores de sua vida e, ainda, do privilégio que teve de nunca ter precisado trabalhar em sua vida.

Vidas Secas (1963)

Dirigido por Nelson Pereira dos Santos, é baseado no livro homônimo do escritor Graciliano Ramos. Pressionados pela seca, uma família de retirantes composta por Fabiano, Sinhá Vitória, o menino mais velho, o menino mais novo e a cachorra Baleia, atravessam o sertão em busca de meios para sobreviver.

Inocência (1983)

Dirigido por Walter Lima Jr., é baseado no livro homônimo do Visconde de Taynay. No Brasil imperial, um médico itinerante (Édson Celulari) em suas andanças conhece uma moça acometida de malária (Fernanda Torres) por quem se apaixona, sendo correspondido. Entretanto, o pai da jovem a prometeu para um rico fazendeiro da região e não admite ter sua vontade contestada.

Policarpo Quaresma (1998)

Dirigido por Paulo Thiago, é baseado no livro ‘Triste fim de Policarpo Quaresma’ de Lima Barreto. O protagonista é um sonhador e um nacionalista que atua no Congresso e quer que o idioma tupi-guarani seja o oficial no Brasil.

Capitães de Areia (2011)

Dirigido por Cecília amado, é uma adaptação do livro homônimo de Jorge Amado. Na capital baiana Salvador, nos anos de 1930, menores abandonados que vivem nas ruas enfrentam toda sorte de dificuldades.

O Cortiço (1978)

Dirigido por Francisco Ramalho Jr., é baseado no livro homônimo de Aluísio de Azevedo. Moradora de um cortiço de propriedade do português João Romão, Rita Baiana é uma mulher expansiva e liberal. Ao se apaixonar por Jerônimo, jovem lusitano recém-chegado ao Brasil, ela deflagra um jogo de paixões que acaba em tragédia.

O Pagador de Promessas (1962)

Dirigido por Anselmo Duarte, é baseado no livro homônimo de Dias Gomes. Zé do Burro (Leonardo Villar) e sua mulher Rosa (Glória Menezes) vivem em uma pequena propriedade a 42 quilômetros de Salvador. Um dia, o burro de estimação de Zé é atingido por um raio e ele acaba indo a um terreiro de candomblé, onde faz uma promessa a Santa Bárbara para salvar o animal. Com o restabelecimento do bicho, Zé põe-se a cumprir a promessa e doa metade de seu sítio, para depois começar uma caminhada rumo a Salvador, carregando nas costas uma imensa cruz de madeira. Mas a via crucis de Zé ainda se torna mais angustiante ao ver sua mulher se engraçar com o cafetão Bonitão (Geraldo Del Rey) e ao encontrar a resistência ferrenha do padre Olavo (Dionísio Azevedo) a negar-lhe a entrada em sua igreja, pela razão de Zé haver feito sua promessa em um terreiro de macumba.

Macunaíma (1969)

Dirigido por Joaquim Pedro de Andrade, é baseado no livro homônimo de Mário de Andrade. Macunaíma é um herói preguiçoso, safado e sem nenhum caráter. Ele nasceu na selva e de preto, virou branco. Depois de adulto, deixa o sertão em companhia dos irmãos. Macunaíma vive várias aventuras na cidade, conhecendo e amando guerrilheiras e prostitutas, enfrentando vilões milionários, policiais, personagens de todos os tipos.

A Moreninha (1970)

Dirigido por Glauco Mirko Laurelli, é adaptado do livro homônimo do escritor Joaquim Manuel de Macedo. Toda a história se passa na paradisíaca Ilha de Paquetá centrada em Carolina (Sonia Braga) e Augusto (David Cardoso). Amigos da família reúnem-se para um sarau na casa de Carolina. Lá, ele vai reencontrar aquele amor dos tempos de criança, com quem trocou juras de amor e um camafeu, peça fundamental para que ele se reconheça.

O Coronel e o Lobisomem (2005)

Dirigido por Maurício Farias, é baseado no livro homônimo de José Cândido de Carvalho. Ponciano de Azeredo Furtado (Diogo Vilela) é um coronel de patente e fazendeiro por herança, que luta contra seu irmão de criação Pernambuco Nogueira (Selton Mello) para manter as terras da Fazenda Sobradinho e conquistar o coração de sua prima Esmeraldina (Ana Paula Arósio). Para vencer esta batalha Ponciano precisa enfrentar feras, agiotas e ladrões, além de se envolver com a vida boêmia da cidade e ainda espantar assombrações.

Bom filme!

Fonte: Guia do Estudante