Tags

, , , , , , , ,

Diferente do que muita gente sabe, esses três tipos de formação são opções de pós-graduação com enfoques distintos. A maioria dos estudantes que concluem a graduação seguem para fazer a ‘Pós-GRaduação’, que em termos mais corretos é chamado de ‘Especialização”.

Os cursos de especialização – que têm como exemplos mais conhecidos os MBAs, voltados para a área de administração de empresas – são mais práticos e objetivos, visando um aprimoramento profissional. Já o mestrado e o doutorado são cursos de longa duração e costumam ser escolhidos por quem busca formação acadêmica na área da pesquisa científica ou quer seguir carreira como docente (professor universitário).

A princípio, para lecionar em faculdades não é exigido que todos os profissionais tenham título de mestre ou de doutor. No entanto, como as universidades precisam ter, obrigatoriamente, um certo número de doutores em seus quadros, os profissionais com esses títulos conseguem melhores oportunidades de trabalho. Os cursos de pós-graduação foram regulamentados oficialmente no Brasil pelo Ministério da Educação (MEC) em 1969.

Concluindo a graduação, o que deve fazer? A Especialização, Mestrado e/ou Doutorado? Caminhos da pós-graduação podem levar a uma formação mais prática ou teórica

Especialização

Dentro da área lato sensu, a única opção de pós-graduação são os cursos de especialização – os MBAs são um bom exemplo. Eles costumam ser pagos, mesmo quando oferecidos em faculdades públicas. Para entrar nesses cursos, pode haver provas seletivas e entrevista. Mas o processo de entrada é mais simples e as aulas ocorrem geralmente aos sábados, devido a maioria dos estudantes estarem buscando um aprimoramento profissional, e no decorrer da semana eles estarem se dedicando a profissão.

O que é Lato sensu?

Expressão latina que significa “em sentido lato, amplo”. Os cursos de pós-graduação lato sensu são mais práticos, rápidos e direcionados para o aperfeiçoamento da vida profissional do estudante. Outro tipo de formação é a stricto sensu que quer dizer “senso estrito”.

Stricto sensu

A pós-graduação nessa área é mais indicada para quem procura uma formação acadêmica sólida, podendo se tornar um professor universitário ou um pesquisador. Aqui começa o caminho que leva à obtenção dos títulos de mestre e doutor.

Para ingressar no Mestrado ou Doutorado, o estudante deverá fazer um Processo seletivo. Algumas universidade apresentam o chamado ‘Doutorado direto’, no qual após a graduação, o estudante não faz o mestrado, ele já ingressa no doutorado.

Para obter um bom êxito na seleção, aconselha-se que o mesmo tenha participado de pesquisas durante a sua graduação, congressos não só como ouvinte, mas também apresentando trabalhos, isto permite um bom currículo (Currículo Lattes), por fim, um bom projeto na linha de pesquisa escolhida do Programa que quer ingressar. Existem dois tipos de mestrado, o profissionalizante e o acadêmico.

Mestrado profissionalizante

É um mestrado mais curto e prático, que dura em média um ano e meio e prepara seus alunos para o mercado de trabalho. Segue requisitos semelhantes ao mestrado acadêmico, mas oferece uma formação com ênfase na qualificação profissional. Aos poucos, as universidade públicas estão oferecendo mais cursos de mestrado profissional, principalmente para a área das licenciaturas.

Mestrado acadêmico

Dura em geral dois anos, no máximo dois anos e meio. O mestrando cursa disciplinas e, com a ajuda de um professor orientador, escreve uma dissertação sobre o tema de sua escolha, dentro da linha de pesquisa na qual o Programa de Pós-Graduação que ele escolheu oferece, que depois precisará ser apresentada a uma banca de examinadores.

Terminou o mestrado, já é Mestre?

Antes da apresentação pública da dissertação, o mestrando faz um exame de qualificação diante de uma banca formada por seu orientador e mais dois professores, geralmente com um ano de curso. Se o trabalho estiver bom, ele pode finalizá-lo e fazer a apresentação pública final diante da mesma banca, no final do curso. Se não houver a aprovação, dá para pedir mais tempo e melhorar o projeto. Alguns Programas de Pós-Graduação não tem esta possibilidade e o estudante terá que fazer todo o processo seletivo de ingresso novamente.

Se a dissertação do mestrando for aprovada na apresentação pública diante da banca de examinadores, seu autor recebe o título de “Mestre(a)”. No Brasil, o mestrado é equivalente ao título Master of Science (MSc), dado pelas universidades americanas.

Doutorado

Dura de três a quatro anos. O doutorando também assiste a aulas, tem um orientador e precisa defender seu projeto de trabalho diante de uma banca. Mas o nível de profundidade da pesquisa precisa ser bem maior e o tema, inédito. Para o ingresso é exido a proficiência em duas línguas estrangerias.

Terminou o doutorado, já é Doutor?

Um ano e meio, dois anos após o ingresso, o doutorando, como o mestrando, também passa pelo exame de qualificação e pela apresentação final. Só que ele enfrenta um obstáculo pior. Como sua pesquisa tem mais profundidade e é inédita, ele necessita de um tempo maior, para ler muito mais e estudar muito mais. Uma banca de doutorado tem cinco membros: o orientador e quatro professores.

Caso seja reprovado, algumas universidade concedem uma segunda oportunidade, mas em sua maioria ele é reprovado e deve realizar todo o processo seletivo novamente. Após o término de realização da pesquisa, ele escreve a tese e ao ser aprovada pela banca final, seu autor recebe o título de “doutor”. No Brasil, isso equivale ao PhD, ou Philosophiae Doctor (“Doutor em Filosofia”), concedido no exterior – a doutores de todas as áreas e não só em filosofia. Leva-se o nome de filosofia, por considerar que o estudante tem profundidade no assunto que apresentou em sua tese.

Pós-doutorado

Os doutores que quiserem continuar estudando ainda podem fazer esse tipo de pesquisa científica, que dura de seis meses a um ano. Para ter o auxílio de bolsas, é preciso submeter o projeto a órgãos que incentivam as pesquisas — como a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

Devido o mestrado e doutorado exigir uma maior dedicação, a maioria dos Programas de Pós-Graduação oferecem bolsas de estudos que variam de 1.500 a 2.400 reais, dependendo da Agência de Fomento que o Programa de Pós-GRaduaçaõ oferece. A CAPES é o principal órgão no país junto a CNPq que financia as pesquisas das universidades públicas do país.

Fonte: Adaptação do texto publicado na Revista Mundo Estranho, pela Profª Flávia Vasconcelos, doutoranda do Programa de Pós Graduação de Ensino das Ciências pela Universidade de São Paulo (USP).