Tags

, ,

O Esquedrão recomenda o programa GLOBO UNIVERSIDADE.

O programa é exibido na TV Globo no sábado, às 7h15, e reprisado no mesmo dia na Globo News, às 15h30. No Canal Futura, as reprises vão ao ar no sábado, às 13h30, na quarta-feira, às 15h10, e na quinta-feira, às 3h.

 

Com apresentação de visitas aos centros acadêmicos do país, o programa busca divulgar o que se tem feito nas mais variadas pesquisas científicas nas universidades. No site do GU é possível rever todos os programas que já forma transmitidos, inclusive o exibido no dia 09 de outubro realizado na UNIVASF (Universidade do Vale do São Francisco) em Pernambuco para mostrar pesquisas de botânica e ecologia que buscam recuperar áreas degradadas da caatinga e da bacia-hidrográfica do mais importante rio da região nordeste.

Inaugurada há seis anos, a Univasf tem 21 cursos, distribuídos em quatro campi, dois deles em Petrolina, cidade pernambucana que fica a 700 quilômetros da capital, Recife.

O repórter Paulo Mário Martins acompanha professores e pesquisadores do Centro de Referência para a Recuperação de Áreas Degradadas da Caatinga (Crad/Univasf) no trabalho de mapeamento das matas ciliares do Rio São Francisco. Em campo, os alunos coletam espécies e sementes, anotam as coordenadas geográficas do achado e as características de cada planta. Segundo o professor José Alves de Siqueira, diretor do Crad, o objetivo é conhecer a vegetação original das margens do rio. A degradação ambiental fez diminuir o número de espécies e sua incidência. “Buscamos conhecer melhor este bioma para a produção de mudas que abastecerão os projetos de recuperação”, explica.

Após o trabalho em campo, os estudantes voltam para o laboratório, onde os registros são armazenados em um banco de dados e as mudas são catalogadas, identificadas e arquivadas de acordo com normas internacionais. A produção de mudas acontece em viveiros específicos. Nestes locais, são testadas técnicas de cultivo e de germinação. Uma delas, por exemplo, utiliza pó da casca do coco verde como substrato. Também são desenvolvidas novas técnicas de irrigação. “Buscamos gerar tecnologia que depois será repassada às comunidades e agricultores, que multiplicarão o processo de recuperação”, afirma o coordenador do projeto, o professor Elizer Santo Urbano Gervázio. O objetivo final é melhorar a qualidade de vida das pessoas que dependem do Rio São Francisco.

No quadro Fora de Série, o programa entrevista Fábio Walker, aluno de Medicina Veterinária (Univasf). Ele estuda a ocorrência do trypanosoma crusi, o protozoário que causa a doença de chagas, na fauna da região. No Mérito Acadêmico, vamos conhecer o professor Jackson Guedes, da disciplina de Bioquímica e Farmacologia (Univasf). Ele pesquisa o potencial farmacológico das plantas do bioma da caatinga. No Toque de Mestre, uma professora dá dicas para quem quer estudar a bacia hidrográfica do Rio São Francisco. No Eu Amo Meu Trabalho, uma engenheira agrônoma descreve a fitotecnia de videiras.

 

Confira, na integra, todo o programa, clicando aqui.